Você é vítima ou protagonista da sua vida?

01:00:00 LàR Livre à Reflexão 0 Comments



Pense nessa questão: Eles não me entendem ou não consigo me fazer entender ?

Existe alguma diferença de significado em relação às duas frases?

1ª frase: Eles não me entendem.
2ª frase: Eu não consigo me fazer entender.

Se não consegue perceber a diferença, peço que leia novamente, agora em voz alta, e perceba qual é a ressonância de cada uma delas aos seus ouvidos.

Se você realizou este breve exercício, perceberá que a primeira frase aponta a responsabilidade da comunicação, da compreensão do que eu falo para o ouvinte, ou seja, no outro.

Na segunda frase a responsabilidade por se fazer entender é própria do emissor, ou seja, da pessoa quem fala.

É através desta dinâmica que convido você a refletir sobre qual papel tem tomado mais espaço na sua vida, o de vítima ou o de protagonista?

A comunicação é um dos meios que evidencia nossa postura, refletindo nossos preconceitos, nossos valores, nossos comportamentos e, por consequência, revelando o nosso papel de vítima ou protagonista sobre determinada situação.

Se estamos no papel de ser protagonista, olhamos uma determinada situação pela ótica da oportunidade, do desafio, do fazer diferente, do aprender, do arriscar, de poder experimentar, do descobrir.  O novo é o que me coloca em contato com a possibilidade de aprender, de olhar com novos olhos, de ampliar a minha experiência sobre algo, de trazer a reflexão sobre o que é melhor.

O papel de vítima com respostas do âmbito, eles não me entendem, eles não me chamam, eles não me convidam, eles não me querem, eles não gostam de mim, eles não me promovem, eles não ensinam, eles não explicam, eles não pediram, entre outras frases que revelam a postura de vítima, encara o mundo com a lente do que lhes falta, do que lhes devem e tratam de responsabilizar o outro pelo seu bem-estar, pelo seu sucesso, pela sua satisfação, pela sua alegria e pelas suas conquistas.

Responsabilizar o outro pode acalmá-lo por um tempo, justificar alguns erros, mantê-lo protegido, mas de verdade não o faz autor da sua própria história, não imprimi sua marca na vida de quem mais deseja, da conquista que mais almeja.

O protagonista busca, vai em direção, tenta; o vitimizado espera, resigna-se e lamenta. Os méritos alcançados por protagonistas são muito mais celebrados, pois a autoria da realização é legítima trazendo satisfação plena.

Olhe na sua história e busque momentos em que foi protagonista, recorde-se do bem-estar que foi superar alguma dificuldade ou conquistar algum objetivo.

Finalizo esta reflexão com a frase do filósofo francês Jean Paul Sartre lembrando-nos de que podemos escolher sempre, papel de vítima ou protagonista.
 “Não importa o que fizeram de mim, o que importa é o que eu faço com o que fizeram de mim.”


Um abraço e um mês com muito protagonismo! 

0 comentários: