A importância do "Não" para o seu filho!

00:00:00 Dayane Marins 0 Comments


Os pais, muitas vezes sabem que algo não é benéfico para as crianças de quais cuidam, mas cedem. A criança insiste o adulto cede. Quantas vezes você vem cedendo o "Sim" para quem está sob seus cuidados?
Hoje o LàR vai trazer um vídeo que aborda o tema obesidade infantil e mostra como diversas vezes as crianças fazem para conseguir algo desejado - nesse caso o doce.

O não e o sim
O que significa falar "não" ou "sim"? Quais são todos os significados e significantes dentro dessas palavras pequeninas? Quero dizer, há muito mais do que uma recusa ou um aceite e dentro dessas palavras possuem o mundo do simbólico.

Já parou para pensar nisso?

Voltemos a falar do "não", que faz parte da vida, em todos lugares podemos visualizar ele (em alguns lugares mais em outros menos). Em um mundo simbólico (além das palavras) essa negação pode ser um "eu estou cuidando de você", "eu estou olhando para você". Por isso, muitas vezes crianças "que tem tudo", que os pais são extremamente permissivos, as crianças fazem birra e não se dão por satisfeitas. Talvez ela não esteja pedindo o que realmente diz, mas sim sua atenção e seu cuidado.

Quando um dos nossos elos mais forte é permissivo, quase que deliberadamente, a criança sente que precisa de mais, muito mais do que todos aqueles "sim". 


"Mas eu dou tudo para ele!"

Você dá tudo para seu filho ou você dá tudo que seu filho precisa?
Muito mais do que você dar todas as coisas, dê o que seu filho precisa, quando ele precisar. Perceba a necessidade dele. Você não precisa se dispor a fazer uma coisa para ele caso ele consiga realizar a tarefa sozinho. Você não precisa comprar aquele brinquedo que ele deseja, se você ensinar a ele a poupar e ele mesmo comprar.


Reflexão a se fazer

Você atende aos pedidos de seu filho por achar que é o melhor para ele ou apenas pelo silenciar de um pedido ou um choro?
Os pais cada vez mais gritam: "Mas, o filho é meu e eu faço o que eu quiser!", "Não gosta de como eu cuido, tenha o seu e cuide como quiser". Será que essas falas são realmente o que você pensa ou são apenas palavras mais fáceis? 
São frases de ira e ignorância, são frágeis, assim como a birra de seu filho. Quando somos responsáveis pelo bem estar do outro, será que essas frases se encaixam adequadamente?
Cuidar não é ser permissivo. Não seja negligente.



0 comentários:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.