É carnaval!

01:00:00 Thais Lopes Trajano 0 Comments

E no ritmo carnavalesco o LàR resolveu hoje não trabalhar um tema diretamente ‘Psi’, mas provocar uma rápida reflexão para você curtir seu carnaval com a consciência tranquila, seja ele nos blocos de rua, no sambódromo ou em casa vendo filmes.
Já a dica é que a gente tome muito cuidado para não reproduzir em meio as brincadeiras de carnaval, letras de músicas (as famosas marchinhas)  que reforcem preconceitos.


Fonte da fotografia: Belicosa 

Dêm uma olhada em alguns comentários que fizemos para algumas marchinhas.  

·         “O teu cabelo não nega mulata”...
Nega mesmo não! O movimento negro segue a todo vapor. Mulheres negras podem e muito gostar de carnaval, mas não são objetos sexuais dele.

·         “Pode me faltar o amor e disso eu até acho graça, só não quero que me falte a danada da cachaça”
Alcoolismo não é legal. Que falte a cachaça, mas que não falte juízo e cuidado consigo!

·         “A pipa do vovô não sobe mais”
Vale lembrar que vida sexual é algo particular e velhice faz parte do nosso processo de vida, zombar disto não é saudável. Além disto, é sempre bom lembrar que sexualidade e sexo vão além de uma ereção, sendo assim é possível ter uma vida sexual maravilhosa na 3ª idade.

·         “Vem Jardineira, vem meu amor. Não fique triste que esse mundo é todo teu, você é muito mais bonita que a Camélia que morreu.”
Talvez a Jardineira não esteja comparando sua beleza com a da Camélia, mulheres podem ser amigas, já pregava o feminismo. Além disto, cada um tem direito de viver seu luto, essa ideia de ‘deixa pra lá’ fere ainda mais quem vive o processo.

·         “Acorda Maria Bonita, levanta e vai fazer o café”
Ou não, você é quem sabe Maria Bonita. Porque sendo livre você levanta se quiser. Vou nem falar do café, ainda mais se ela tiver sem fome...

·         “Maria Sapatão, sapatão, sapatão. De dia é Maria e de noite é João”
Epa! Mas não é bem isso não. Como já foi dito por aí orientação sexual é uma coisa, identidade de gênero é outra.

·         “Olha a cabeleira do Zezé, será que ele é? Será que ele é?”
 Livre? Sim! Pra usar o cabelo, a roupa e o banheiro que quiser.


E aí, o que achou?
Conhece outras que também gostaria de dar uma repaginada? Manda aqui pra gente.


O Làr deseja um carnaval de alegria e paz para todos!
Curtam com consciência e sem reprodução de discurso de ódio.


0 comentários:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.