O mundo (não) encantado da maternidade

00:00:00 LàR Livre à Reflexão 0 Comments



Quem nunca se pegou pensando, mesmo que por uma fração de segundo, que se não tivesse o bebê poderia estar fazendo isso ou aquilo? Pois é minhas queridas, a ideia que nos vendem sobre a maternidade é algo muito bonito, um amor intenso e imediato, sorrisos pelo rosto a todo momento, aquela mulher linda e radiante sem aparente cansaço, aquelas crianças sorridentes todo o tempo, mas esqueceram de nos contar que tudo isso não passa de um conto de fadas, nós fazemos o caminho inverso ao da Cinderela ao nos tornarmos mães, a gata borralheira nasce junto com o bebê, pois são noites e mais noites em claro, dificuldade de amamentar, falta de companheirismo, cabelos presos em eternos coques ou rabos de cavalo, unhas por fazer, luta para fazer a criança dormir, banhos-relâmpago, andar nas pontas dos pés para não acordar o bebê, e por aí vai. Logo, eu lhes pergunto porque nos parece tão absurdo desejar nossa vida anterior vez ou outra?

Vejam bem, não que eu me arrependa de ser mãe e, acredito eu, você que está lendo esse texto agora também não se arrependa – para a maioria das mamães seus bebês foram uma bênção independentemente das dificuldades, mas, mesmo para essas mães, existem os momentos de desespero, pois somos humanas e desejamos sim aqueles momentos repletos de risadas e leveza que a vida sem filhos proporciona. Quando a tínhamos, não a valorizávamos, mas hoje parece uma vida encantadora, pois é assim que somos, sempre queremos algo que não podemos ter, portanto, vamos nos livrar da culpa, tem gente desejando nossa vida sem saber como ela é, mas também não há nada de errado nisso, podemos sim ter pensamentos desse tipo, mas é o nosso esforço e o amor que conquistamos com o tempo que fazem valer cada segundo desse mundo quase encantado que é o da maternidade, por isso, devemos lembrar que tudo é uma fase, um dia voltaremos a frequentar a madrugada sem culpa, pois nossos pequenos já não serão tão pequenos assim e teremos a consciência mais tranquila, então, aproveite cada momento, mas não se martirize quando tais pensamentos vierem à tona.

Sintam-se abraçadas!



0 comentários: